Vias Lacrimais

Obstrução das Vias Lacrimais em crianças (bebes)

A causa mais comum de lacrimejamento do recém-nascido é a obstrução das vias lacrimais na região  do canal lacrimal. O canal lacrimal comunica a superfície ocular com o nariz e é por este canal que a maior parte da lágrima é drenada. Em aproximadamente 6% dos recém-nascidos este canal lacrimal não está totalmente aberto, fazendo com que estas crianças apresentem sintomas de lacrimejamento e secreção no olho acometido. (Figura: obstrução da via lacrimal)

Vias lacrimais

Obstrução da via lacrimal (lacrimejamento no bebe)

 

Conjuntivite ou secreção decorrente da obstrução das Vias Lacrimais?

Freqüentemente os pais pensam que existe uma conjuntivite crônica, uma vez que há secreção de aspecto semelhante ao de algumas conjuntivites e excesso de lacrimejamento. É importante considerar que nas crianças que apresentam  canal lacrimal entupido, os olhos geralmente estão brancos, calmos, sem sinais de inflamação e com lacrimejamento. Já nas conjuntivites além da secreção, os olhos ficam vermelhos e inchados, resultantes do processo infeccioso/inflamatório. 
As crianças com entupimento do canal lacrimal freqüentemente apresentam os olhos colados ao acordar, o que também ocorre nas conjuntivites. Nas crianças com obstrução das vias lacrimais, pode haver dermatite (assadura) na pálpebra inferior, resultante do contato freqüente da lágrima com a pele.

 

Tratamento inicial do entupimento do canal lacrimal

Felizmente, 90% das crianças com lacrimejamento devido a obstrução do canal lacrimal apresentam cura espontânea nos primeiros meses de vida, não necessitando de tratamento específico. A secreção em excesso deve ser removida e uma massagem. Recomenda-se o início das massagens no canto nasal do olho comprometido ( onde está o saco lacrimal ) o mais precoce possível. As masságens devem ser realizadas como se estivesse comprimindo, com a polpa digital do indicador, um tubo de pasta de dente com a abertura para baixo. Bastam duas compressões por vez pela manha e à noite.  Essas massagens aumentam a chance de cura sem a necessidde de intervenção cirúrgica. Normalmente não há necessidade de colírios antibióticos, uma vez que não existe quadro infeccioso como na conjuntivite bacteriana. Em alguns casos, pode haver o desenvolvimento de  conjuntivite e apenas nestes casos estará indicado o uso de colírios antibióticos. O uso de colírios com cortisona/corticóide é formalmente contra-indicado e pode provocar o aparecimento de glaucoma secundário e/ou catarata.

 

Segunda etapa do tratamento da obstrução das Vias Lacrimais

Quando a obstrução das vias lacrimais  não apresenta resolução espontânea estará indicado a sondagem das vias lacrimais com ou sem a intubação das vias lacrimais fazendo uso de tubo de silicone. (Figura: Via lacrimal intubada). Este procedimento geralmente é indicado entre 8 a 14 meses, uma vez que a resolução espontânea ocorre na maior parte dos casos. Entre 10 e 14 meses a chance de sucesso é ao redor de 90% dos casos. Caso o tratamento falhe e a obstrução se mantenha, o que é raro,  estará indicado cirurgia semelhante a que se faz em adultos com obstrução de vias lacrimais por outra causas diferentes dos bebes (mais detalhes abaixo).

Via lacrimal intubada

Via lacrimal intubada

 

Complicações da obstrução das Vias Lacrimais

Tanto na criança quanto no adulto com lacrimejamento pode ocorrer em alguns casos infecção dentro do “saco lacrimal” que aparece como inflamação elevada e dolorosa ao lado do nariz, chamada dacriocistite aguda. (Figura: dacriocistite aguda)  A lágrima que deveria ser drenada para o nariz fica estagnada no saco lacrimal, fato que propicia a proliferação bacteriana. O tratamento, que deve ser acompanhando por um oftalmologista especialista, envolve o uso de antibióticos por via oral e analgésicos. Nos casos de agravamento da dacriocistite, o paciente deve ser internado para receber antibióticos por via endovenosa. Depois de resolvida a infecção, o paciente deve ser submetido à cirurgia (dacriocistorrinostomia) para desobstruir as vias lacrimais e evitar recidivas.

Infecção do saco lacrimal

Dacriocistite aguda

Diagnóstico da obstrução das Vias Lacrimais em crianças e adultos

O diagnóstico da obstrução das vias lacrimais é clínico e através da dacriocistografia, exame onde um contraste é injetado nas vias lacrimais para detectar o ponto de obstrução (Figura dacriocistografia ). Neste exemplo ocorre obstrução da descida do contraste no lado direito do paciente.

Dacriocistografia em obstrução de via lacrimal

Dacriocistografia com obstrução do lado esquerdo da foto

 

Tratamentos detalhado da Obstrução das Vias Lacrimais em adultos

DACRIOCISTORRINOSTOMIA EXTERNA E ENDOSAL

A lágrima produzida para umedecer, lavar e fornecer substâncias importantes para a defesa do olho, deve ser colhida por canais que a leva para dentro do nariz; caso contrário escorreria pela face. Ao sair do olho ela entra por dois canais que a conduzem para dentro de um “saco” e daí para outro canal que a despeja no nariz. (Figura: vias lacrimais ) Este último canal pode ser obstruído por má formação ou infecção levando ao lacrimejamento (Figura: obstrução da via lacrimal)

Vias lacrimais

Vias lacrimais

 

Obstrução da via lacrimal

Obstrução da via lacrimal

No adulto os sintomas são muito parecidos com os das crianças mas as causas são diferentes e, consequentemente, a sequência das opções de tratamentos também diferem. Os sintomas variam de lacrimejamento à dacriocistite. Na dacriocistite o alívio dos sintomas ocorre com uso de antibióticos e massagens sobre o “saco lacrimal“.   No adulto não há apção de sondagem das vias lacrimais. A única forma de tratamento é a cirurgia dacriocistorrinostomia. Esta cirurgia consiste em criar uma nova comunicação entre o saco lacrimal e a cavidade nasal para promover novamente a drenagem da lágrima. A dacriocistorrinostomia pode ser externa, com uma pequena cicatriz próximo ao nariz, ou endonasal, sem a presença de cicatriz. A escolha da opção cirúrgica deve ser discutida junto ao oftalmologista especialista em vias lacrimais.

 

Todas as informações fornecidas neste website têm caráter meramente informativo, com o objetivo de complementar, e não substituir, as orientações do seu(sua) médico(a).

Dr. Renato Garcia   CRM-SP 109092
Médico Oftalmologista – Vias lacrimais e seus tratamentos

Oftalmologista em São Paulo