Correção a laser da miopia, astigmatismo e hipermetropia

Cirurgia Refrativa ( correção a laser de miopia, hipermetropia e astigmatismo )

A Cirurgia Refrativa a laser é o precedimento cirúrgico para correção do “grau dos olhos” (miopia, astigmatismo e hipermetropia) feita por meio de um equipamento chamado Excimer Laser.  Este tipo de cirurgia à laser pode ser realizada através do modo PRK ou do LASIK, dependendo da indicação para cada paciente. O uso do laser torna a cirurgia rápida e com alto grau de precisão, permitindo o retorno em poucos dias às atividades sociais e profissionais. Aparelhos de última geração associada à experiência do oftalmologista especialista em Cirurgia Refrativa tornam esta cirurgia segura e eficaz.

Cirurgia Refrativa

Cirurgia Refrativa a laser

Durante a cirurgia refrativa a movimentação do olho é monitorada por um sistema rastreador chamado Eye Traker, o qual faz com que o laser seja aplicado no local correto, mesmo quando ocorrem pequenos movimentos oculares involuntários.
Antes de se submeter à cirurgia refrativa é necessário realizar um estudo completo do olho a ser operado com oftalmologista especialista em cirurgia refrativa: refração adequada, topografia e estudo de paquimetria da córnea, mapas paquimétricos e de superficial anterior e posterior da córnea, avaliação do cristalino, estado da retina, pressão intra-ocular, entre outros.
Alguns critérios devem ser respeitados para a indicação da cirurgia refrativa, como o exame do grau dos olhos ( miopia, astigmatismo e hipermetropia )estável por pelo menos 1 ano; idade minima de 21 anos; interrupção do uso de lentes de contato gelatinosa por pelo menos 1 semana e se forem rígidas por um mês; não estar grávida ou em fase de amamentação, e outros critérios técnicos que devem ser avaliados e discutidos com o oftalmologista.

Portanto, para realização da cirurgia refrativa, um cuidadoso exame deve ser realizado pelo oftalmologista especialista em Cirurgia Refrativa e as devidas orientações e dúvidas esclarecidas.

PRK (Ceratectomia Fotorrefrativa)

O PRK consiste em uma das modalidades da cirurgia refrativa em que a aplicação do laser ocorre diretamente sobre o tecido corneano superficial, o que levava a um pós operatório um pouco desconfortável e com tendência a uma cicatrização maior quando comparado ao LASIK. Com isso, no PRK a visão demora mais tempo para reperação completa.
Durante o PRK a energia do excimer laser vaporiza o tecido corneano, permitindo esculpir a córnea e modelar sua curvatura para eliminar a miopia, hipermetropia ou astigmatismo.
Na técnica do PRK o olho é anestesiado com gotas de colírio anestésico e um aparelho é colocado entre as pálpebras para impedir que se pisque durante a cirurgia. Em seguida, o oftalmologista remove o epitélio, uma fina camada que recobre a córnea. Durante o PRK, deve-se olhar para a luz do Excimer para o laser ser aplicado e remodelar a forma da córnea. Terminada a aplicação do laser do PRK, o oftalmologista põe uma lente de contato terapêutica sobre a cornea operada, que será removida entre 2 a 5 dias.
Alguns pacientes poderão apresentar, no pós-operatório do PRK, embaçamento da visão por um período que varia de 1 a 15 dias e certo desconforto, até que o epitélio cicatrize e recubra a área tratada. Geralmente, gotas de colírio e analgésicos ajudam a reduzir o desconforto do pós-operatório do PRK. O resultado visual alcançado é avaliado num período que varia de algumas semanas a 3 meses em média, de acordo com as características de cicatrização de cada pessoa.
Nos últimos anos tem sido frequente o uso de uma substância chamada mitomicina associada ao PRK, especialmente nos casos de graus mais altos de miopia, astigmatismos e hipermetropias que não podem ser operadas através do Lasik. Esses casos, até então eram contra-indicados e graças a essa associação (PRK com mitomicina) vem apresentando ótimos resultados.

LASIK (Laser Assisted In Situ Keratomileusis)

O LASIK consiste em outra modadelidade de cirurgia refrativa e seu nome deriva da abreviação do termo inglês “laser-assisted in situ keratomileusis”. O LASIK começou a ser utilizado em cirurgias refrativas na década de 90 e tornou-se uma das cirurgias mais realizadas em todo o mundo.
A técnica do LASIK difere da PRK porque corrige a visão agindo em uma das camadas internas, ao invés de atuar na superfície da cornea. Com isso, a melhora da visão ocorre mais rapidamente, geralmente em 24 horas.
Na técnica do LASIK, após o olho ter sido anestesiado com colírio, um aparelho é colocado entre as pálpebras para impedir que se pisque durante a cirurgia. Em seguida, um instrumento chamado microcerátomo realiza um corte muito delicado e preciso na superficie da córnea com a finalidade de levantar uma fina camada (lamela). Esta mesma etapa pode ser realizada com um outro tipo de laser chamado de Femtosecond Laser. Quando utilizamos o Femtosecond Laser em cirurgias refrativas, chamamos este procedimento de iLasik, ou seja todas as etapas da cirurgia são feitas à laser. Quando se utiliza os dois tipos de laser, o procedimento fica ainda mais seguro. Nos Estados Unidos a cirurgia refrativa realizada toda à laser (“bladeless”) é rotina há cerca de cinco anos.
Após a confecção da lamela deve-se olhar para a luz do Excimer para o laser ser aplicado e remodelar a forma da córnea. Por fim, a lamela é recolocada de volta ao lugar sem necessidade de pontos.



Lasik com microcerátomo e com femtosecond laser

Cirurgia Refrativa personalizada ou customizada
A Cirurgia Refrativa Personalizada é uma nova tecnologia desenvolvida para as Cirurgias Refrativas, tanto no PRK como no Lasik. Permite um tratamento mais preciso e personalizado para cada olho. Diferente do PRK ou Lasik convencional, a Cirurgia Refrativa personalizada varre pequenas imperfeições da superfície ocular, chamadas de aberrações. Portanto, o PRK personalizado e o Lasik personalizado superam o modo convencional, pois diminuem as queixas noturnas e em ambientes de baixa luminosidade.

Distúrbios de visão noturna com sintomas de ofuscamento e halos em torno da luz podem ocorrer após a cirurgia refrativa convencional. Diversos estudos correlacionam os distúrbios de visão noturna com o aumento das aberrações oculares de alta ordem e ao fenômeno da dispersão da luz através da córnea operada.


Para criar o programa que irá orientar a Cirurgia Refrativa Personalizada baseada em frentes de onda, é necessário fazer um exame chamado Aberrometria que calcula as imperfeições e as irregularidades da córnea, assim tornando a cirurgia única para cada paciente.

 

Todas as informações fornecidas neste website têm caráter meramente informativo, com o objetivo de complementar, e não substituir, as orientações do seu(sua) médico(a).

Dr. Renato Garcia   CRM-SP 109092

Médico Oftalmologista  – Cirurgia Refrativa

Rua Teixeira da Silva, 34 Cj. 83 – Paraíso –  São Paulo -SP
Telefone: (11) 3083-5249/4371-5259