Criança no oftalmologista


Avaliação oftalmológica na infância

Muitas crianças só são levadas ao oftalmologista após apresentarem dificuldade de enxergar a lousa em sala de aula na fase escolar. No entanto, o primeiro exame oftalmológico deve ser realizado antes do primeiro ano de vida.

Avaliação oftalmológica na infância

Avaliação oftalmológica na infância

 

Sabe-se que os primeiros anos de vida são os mais importantes no desenvolvimento da visão. Nesta fase, o sistema nervoso central deve receber a melhor informação visual possível para que os neurônios relacionados à visão sejam desenvolvidos. Caso contrário, ocorre a ambliopia, que significa o não desenvolvimento da visão parcial ou total pelo resto da vida.

 

Já na maternidade é realizado obrigatoriamente o Teste do Olhinho, por um pediatra treinado. Trata-se do primeiro exame oftalmológico da infância. Um reflexo vermelho homogêneo, simétrico e regular deve ser visto em ambos os olhos. Se houver dificuldade em detectar o reflexo vermelho, a criança deve ser examinada pelo oftalmologista com exames mais específicos, para verificar precocemente eventuais doenças oculares, como catarata, glaucoma, opacidade da córnea, hemorragias no vítreo, e tumores intra-oculares, entre outros.

 

A Sociedade Brasileira de Oftalmologia Pediátrica recomenda que o acompanhamento oftalmológico das crianças deve ser semestral até os 2 anos de idade e, a partir daí, anual até os 10 anos, quando temos uma completa sedimentação da via neural relacionada ao sistema ocular.

Teste do Olhinho

Teste do Olhinho

As principais doenças oftalmológicas que acometem crianças são as ametropias ( hipermetropia, miopia e astigmatismo ), o estrabismo e a ambliopia.

Os exames realizados numa criança que ainda não sabe explicar verbalmente o que sente ou vê são baseados em testes objetivos, avaliando a presença ou não de patologias e da necessidade ou não de óculos (por miopia, hipermetropia e/ou astigmatismo), dentre outros tratamentos, como uso de tampão.

 

Uso de óculos em crianças

Criança usando óculos

 

Criança usando óculos e tampão

Criança usando óculos e tampão

 

A partir dos 3 anos de idade a criança já passa a conseguir dar algumas informações, o que torna o exame ainda mais preciso.

Existem alterações que os pais podem observar precocemente na visão dos filhos que merecem cuidado imediato:

Avaliação oftalmológica na infância

Sinais de alerta na avaliação oftalmológica das crianças

•Caso note que a criança não acompanha os movimentos dos objetos e da luz ao seu redor ainda na fase não verbal, é preciso consultar um oftalmologista imediatamente.

•Caso, ao fazer uma foto da criança, a pupila (parte preta do olho) apareça branca, pode significar que há opacidade dos meios transparentes.

•Nas primeiras semanas de vida, é normal a criança parecer estrábica (vesga) pois não tem coordenação motora ocular para manter os olhos alinhados. A partir dos 6 meses, se os olhos da criança ainda parecem desalinhados é preciso consultar o oftalmologista. Estrabismo, se não tratado a tempo e corretamente pode se transformar numa perda permanente. O oftalmologista pode indicar o uso de tampão, óculos e, em alguns casos, cirurgia.

•Coceira ou ficar muito perto da TV, podem ser sinais de necessidade de óculos para a criança.

•Por fim, a baixa visão em uma criança pode se traduzir, muitas vezes, na dificuldade de aprendizado e de atenção. É fundamental, portanto, nestes casos, a verificação da saúde ocular anteriormente à investigação psicológica e cognitiva.

 

 

Todas as informações fornecidas neste website têm caráter meramente informativo, com o objetivo de complementar, e não substituir, as orientações do seu(sua) médico(a).

 Dr. Renato Garcia   CRM-SP 109092

Médico Oftalmologista – Avaliação Oftalmológica na Infância